Ontem, hoje e amanhã

Ultimamente há fumaça no horizonte e eu não sei por que
Enfiamos a cara no trabalho e tentamos não pensar
Qua a nossa vida passa voando como uma rápida conexão de internet
E o encanto passou como qualquer coisa que já foi especial
Um dia talvez eu tente mostrar o que já fez meu peito arfar
Mas isso não tem importância hoje

Hoje tentei ver um pouco melhor tudo aquilo que chamei de precioso
Mas o valor já não vale mais tanto
Inflacionado, convertido em moeda fraca
Dizem que cresci, mas tudo ainda é como antes
Jogos, medos, brincadeiras e desigualdade
Mas nada me surpreende muito como o fazia ontem

Ontem sonhei com… acho que não sonhei
E os flamboyants já não me protegem mais do sol
Árvores esqueléticas se projetam para o céu
Como um filme de Tim Burton, mas sem a arte
Sem a alma
Procurando algo para me levar ao amanhã

Amanhã sentirei cansaço, como hoje senti
E saberei que tudo volta aos seus eixos eternos
Tocarei novamente seu rosto, meu amigo
E sentiremos tudo o que nosso entorpecimento permitir
E diremos que o inferno são os outros
Enquanto queimamos nas chamas eternas da auto-condenação

Ultimamente não há nada nos olhares
E nenhuma celebridade me inspira com suas habilidades
Sorvo o vento como cocaína
Mas não passa de bicarbonato
E isso não passa de desencanto
Sopro vida nesse barro, doce esperança
Pois todos os dias se passam hoje
Seja na memória
Seja na esperança

9 respostas em “Ontem, hoje e amanhã

  1. Não é só vocês dois. O tempo fascina a todos , mesmo que a maioria não assuma.. Hoje mesmo conversei na roça com um artista das Letras e da música… O tempo foi o assunto principal… Em síntese: se o tempo fascina, também assista…

    • Algo que não tem controle, mas que na verdade nos controla, vira quase uma deidade. Quase ou de fato: Chronos talvez seja o deus mais cruel de todos. Ao menos para os mortais.

      • Por isso gosto muito de tentar conciliá-lo com Kairós, (irmão de Kronos?), que aponta para a importância e necessidade de umas ‘rupturas’ transcendentais vez ou outra… A poesia, a música, a pintura, a arte de forma geral, contribui em muito para esta ruptura…

      • Não me lembrava de Kairós! Já vou dar uma pesquisada. Obrigado pela referência, gostei desse cara rs. Um grande abraço, Estevam.

      • Pela mitologia grega. ele parece ocupar um lugar de ‘irmão’ de Kronos… meio que um contraponto á inevitabilidade de Kronos… É o que nos um certo respiro diante do facão do tempo…

  2. Eh! Há mesmo fumaça nestes Horizontes e tudo se vê esfumaçado, isto não se pode negar! Triste! Mas seu texto? Quanta profundidade, e o tempo é mesmo o hoje! Não o que foi, tampouco o que será! Estamos sempre em transformação, a cada partícula de segundo. Esta sensação de desacreditar, conformar, acostumar, desesperançar (gosto desta palavra que acho que não existia) são os valores que vão mudando a cada nova experiência. E novos encantos vão surgindo! Gostei imenso, como nosso horizonte, que amanhã já não terá fumaça …ou não! Abraço

    • Pois é, essa questão do tempo parece que fascina a nós dois, não é? Acho que isso é para quem está disposto a aproveitar a passagem dele. E realmente, parece que a fumaça tem nublado um pouco até o interior da gente, mas saber ruminar até isso, pode ser um ótimo aprendizado. Transformação, como você colocou me parece a essência de não se perder, e a gente luta né? Obrigado pelo seu comentário, acabei vendo que botei mais aqui do que imaginava. Eta alma transparente! Um grande abraço meu querido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s