Do lado de cá

A grama do lado de cá é mais verde. Depois de tudo, depois da escuridão da noite sem fim, da miséria e da doença, ao abrir os olhos com o esforço de quem teve as pálpebras coladas, fomos capazes de apreciar a vida com toda essa explosão de cores.

A miséria e a doença continuam muito, muito perto. Mas hoje olhamos para fora, e para fora iremos sem parar mais por motivo algum. Já nos ofereceram o lado luminoso da estrada, mas era só mais uma prisão.

O lado luminoso da estrada é você, e só você que encontra. Pois só você pode enxergar a luz.

Fotos: Daniel Bücker. Hospital das Clínicas da UFMG e Praça da Liberdade.